historial

Os Tunídeos deram à costa, segundo rezam os anões, perdão, anais! Algures em Julho de 1994. quando o Sérgio Àvila encontrou o Zé Carlos no bar e proferiu as imortais palavras:

- “Iss vá bem? (1) Ao que o Zé Carlos terá respondido:

- “É na boa.” (2). Então, como se iluminado pelas próprias musas, Sérgio Ávila terá dito:

- “Bora fazer uma tuna” (3) e a resposta de Zé Carlos, de uma poesia e musicalidade inigualáveis terá sido:

- “Bora lá”. (4)

Desde logo se iniciaram as sobre humanas provas de selecção dos elementos que no dia 25 de Novembro de 1994 se estrearam (como não poderia deixar de ser, no bar da Universidade dos Açores), tendo como madrinhas as toninhas elementos femininos do grupo “Chumba - Perde” da U.A.. Para alem da intima relação com o bar, os Tunídeos desde logo granjearam notável reputação com as suas serenatas ou como alguns as denominam “sessões de caça à lingerie”. Demonstrando uma veia criativa muito notável os Tunídeos compuseram num espaço de tempo relativamente curto os temas que viriam a constituir o primeiro registo do grupo “Cardume á solta na fisgadela”, um CD gravado em 1997. Já em 2002 saiu mais um registo sonoro “...ao vivo e entalado”! Oooops, “...ao vivo e enlatado”! Contudo estes registos serão apenas aperitivos para todos aqueles que tiverem a possibilidade de presenciar uma actuação desta tuna um repertório totalmente original aliado a penteados, baseados no traje típico Açoreano do séc. XII fazem com que esta seja uma tuna totalmente diferente (desde pneus, suspensões e tudo).

Um marco importante na história desta tuna foi a realização do festival “El Açor” (cuja primeira edição decorreu em 2000) um objectivo que os Tunídeos desde sempre almejaram. A terceira e quarta edições deste festival deram origem ao primeiro CD El Açor, cujo lançamento teve lugar a 11 de Março de 2004.

Em 2001 os Tunídeos irmanaram-se, ou melhor dizendo, “hermaniaeam-se” com a tuna de farmácia de Granada, num dos episódios mais bonitos da sua existência. Mais recentemente, culminando uma longa relação de amizade, irmanaram-se também com a TransmonTuna. O próximo objectivo, pretendendo entrar no mundo do incesto, será a irmanação com uma tuna feminina.

(1) Então caro amigo, como estás?

(2) Estou bem obrigado.

(3) Vamos construir um daqueles grupos de índole recreativo e cultural a que se chama “tuna”.

(4) Que óptima ideia! Podes contar com o meu apoio.